Como fazer um plano de saúde? 5 dicas para a contratação
como-fazer-plano-saude

Como fazer um plano de saúde: guia prático para tirar suas dúvidas

5 min de leitura

Atualmente, ter um plano de saúde no Brasil é uma grande necessidade e está entre os principais desejos da população. Talvez você esteja pensando em fazer um, mas não sabe nem por onde começar? 

Muitos ainda acreditam que para entender como fazer um plano de saúde é preciso pesquisar por muito tempo, por ser considerado um processo burocrático e complexo. Mas, a verdade é que não precisa ser assim.

É claro que tudo depende de algumas escolhas suas, como a própria operadora e até mesmo o tipo de cobertura que você vai escolher. Além disso, é necessário estar atento a outras questões, como o período de carência e até mesmo como funciona o reajuste.

Vamos juntos descobrir como contratar um plano de saúde para ter mais proteção não apenas para você, mas também para toda sua família? Continue a leitura!

Como fazer um plano de saúde individual: 5 dicas

Pensando em facilitar a sua vida e trazer mais transparência para todas as questões relacionadas ao plano de saúde, decidimos trazer um guia básico sobre como contratar um.

No fim das contas, você vai perceber que todo esse processo pode ser muito mais simples do que imaginava. E, afinal, com algumas dicas, tudo fica muito mais fácil, não é mesmo? Então, confira, e não esqueça de levar o tempo necessário para pensar nas suas necessidades até definir a melhor opção para você.

1. Pesquise

Isso é óbvio, não é? Mas você ficaria surpreso com o número de pessoas que fazem um plano de saúde sem pesquisar bem e, no fim das contas, não ficam assim tão satisfeitos com a sua escolha.

Apesar de termos alguns convênios médicos mais tradicionais e conhecidos, a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) possui mais de 750 operadoras cadastradas, o que oferece muito mais possibilidades para você.

Por isso, o ideal é pesquisar também por planos menos conhecidos que atendam a sua região e ver se algum deles satisfazem a sua necessidade. No fim, você pode encontrar opções que antes mesmo nem conhecia.

2. Entenda suas necessidades

Sempre que vamos tomar uma decisão, elas devem ser baseadas naquilo que nós precisamos, certo? Então, para saber como fazer um plano de saúde, é importante pensar nos detalhes.

Qual a área de abrangência você precisa para o seu plano? Se você viaja muito pelo Brasil a trabalho, então um que tenha cobertura nacional pode ser interessante. Entretanto, se este não é o caso, devemos lembrar que o regional oferece um melhor custo-benefício.

Outro ponto é em relação à cobertura do plano. Basicamente, podemos encontrar três:

  • Ambulatorial: para consultas e exames eletivos, assim como pequenos procedimentos que não necessitam das estruturas hospitalares (como retirada de pontos, punções e curativos);
  • Hospitalar: possui cobertura para atendimentos de urgência e emergência, internação com diárias ilimitadas, além de poder realizar cirurgias, sejam elas eletivas ou de emergência;
  • Completo: conta com a cobertura tanto do plano ambulatorial quanto hospitalar.

É claro que sempre queremos o melhor. Entretanto, essa escolha também afeta diretamente o preço do plano de saúde. Por isso, são dois lados que devem ser pesados para, ao entender como fazer um plano, isso não afete também a sua saúde financeira.

3. Compreenda os termos

ANS, coparticipação, reajuste… O que será que tudo isso significa? Mais do que isso: qual a importância de você entender cada um desses termos?

O importante é que você não fique com nenhuma dúvida! Por isso, vamos por partes: já falamos sobre a ANS anteriormente e o que você deve saber é que esta é a agência reguladora e fiscalizadora de todos os planos privados, com o objetivo de dar mais segurança ao beneficiário.

Já a coparticipação é um valor que o beneficiário deve pagar quando utiliza algum serviço do plano de saúde. Mas fique tranquilo, pois não são todas as operadoras que possuem essa modalidade de contratação, sendo mais comum em planos empresariais e não nos individuais ou familiares.

O reajuste também vai depender do tipo de contrato que você tem com o plano, mas está relacionado aos ajustes nos valores da mensalidade do plano. Existe tanto o reajuste anual, que no plano de saúde individual é regulamentado pela ANS quanto o por faixa etária

Quer entender mais sobre isso? Temos um conteúdo completo sobre o assunto, aproveite para ler também – Reajuste no plano de saúde: quais os tipos? Como funciona? Tire suas principais dúvidas.

4. Atente-se às regras de contrato

Já falamos sobre como os detalhes fazem a diferença, certo? Por isso, é importante ler com atenção todo o contrato, para que você não seja pego de surpresa posteriormente. Algumas das questões as quais você deve ficar de olho são:

  • Carência;
  • Inclusão de dependentes;
  • Cobertura do plano.

A carência é o período que você deve aguardar, mesmo já tendo contratado o plano de saúde, para começar a utilizar os seus serviços. Esse tempo varia de acordo com o tipo de atendimento e a operadora, mas tudo isso também é estabelecido pela ANS.

Leia também: O que é carência no plano de saúde: tudo o que você precisa saber sobre o assunto

Em relação aos dependentes, alguns planos possuem facilidades para a inclusão de quem você deseja que tenha os benefícios e a mesma proteção que você, como pais, filhos, enteados e até mesmo outros parentes.

O importante é já ter essas questões claras para você antes de assinar o contrato, para que isso não se torne uma dor de cabeça posteriormente.

Por último, temos o que o seu plano deve cobrir, algo que você precisa estar familiarizado desde o início. A ANS também tem um Rol de Procedimentos obrigatórios, mas vale a pena confirmar com as operadoras que você está pesquisando todos os benefícios aos quais tem direito.

5. Envie seus documentos

Muitos dos planos mais atuais não precisam de corretores para o momento de fazer o plano de saúde, sendo um dos seus grandes benefícios.

Normalmente, após simular o preço do plano, você já consegue fazer a contratação através da internet, seja pelo aplicativo no celular ou pelo computador. Isso traz muito mais transparência a todo o processo e, principalmente, diminui a burocracia.

Encontre um plano de saúde que te entenda

Deu para entender como fazer um plano de saúde e que esse não é um bicho de sete cabeças como muitos pensam, certo?

O importante é pesquisar bem, entender quais são as suas necessidades para então fazer a melhor escolha. No fim, como contratar um plano de saúde será apenas um detalhe, pois você já vai ter todas as principais informações que precisa.

E se você está buscando por um plano que entende tudo aquilo que você mais precisa, apresentamos a cuidar.me. Aqui, estamos presentes nos momentos que realmente importam: 

  • Atendimentos de urgência e emergência em pronto-socorro, nos melhores hospitais da região;
  • Internações sem números limitados de dia e em quarto privativo;
  • Cirurgias, sejam elas eletivas ou emergenciais;
  • Atendimento à distância com a telemedicina, para que você não precise enfrentar longas filas sem necessidade;
  • Partos e pré-natal, para trazer mais segurança à família;
  • Terapias especiais e tratamento de doenças graves, como infarto, AVC e câncer;
  • Descontos e parcerias em farmácias, clínicas e laboratórios.

É um plano de saúde individual e hospitalar em que você conta com a proteção para toda a sua família, ao mesmo tempo que cabe dentro do seu bolso.

Além disso, temos uma rede credenciada com hospitais que são referência na região, tudo com o intuito de oferecer o melhor atendimento para quem você ama

Economize no plano, não na saúde. Cadastre-se agora mesmo e passe a contar com a proteção da cuidar.me para você e toda sua família.

Marcus Vinicius Gimenes

Marcus Vinicius Gimenes

CRM: 124766

Fundador da cuidar.me e Médico Cirurgião Cardíaco formado pela UNIFESP-EPM. Há 10 anos empreendendo com propósito de viabilizar o acesso à saúde de qualidade com preço baixo, transparência e empatia, de modo digital e simples.

1 posts