O que é plano de saúde com coparticipação? Como funciona?
o-que-e-plano-saude-coparticipacao

Plano de saúde com coparticipação: o que é? Como funciona?

5 min de leitura

Para escolher o melhor plano de saúde para você e sua família, é importante desvendar os diferentes termos que aparecem ao pesquisar sobre o assunto: ANS, reajuste, coparticipação e muito mais.

Hoje falaremos sobre o que é plano de saúde com coparticipação, tirando as principais dúvidas sobre o assunto, para que você consiga avaliar os seus benefícios e desvantagens antes de contratar um.

Afinal, também existem outras alternativas e tipos de contratação, mas qual delas será que oferece o melhor custo-benefício para você? Como ter um plano de saúde evitando as burocracias e dores de cabeça? Vamos juntos descobrir mais sobre o assunto.

Afinal, o que é coparticipação no plano de saúde?

Se você já pesquisou sobre planos e convênios médicos, sabe que existem diversos formatos de contratação, isso inclui tipo de cobertura, segmentação, área de abrangência, rede credenciada, coparticipação e até mesmo o preço.

A coparticipação nada mais é que um valor que o beneficiário deve pagar, além da mensalidade, quando utiliza algum serviço do plano de saúde (como consultas, exames e até cirurgias). A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) define o percentual máximo mensal que pode ser cobrado de cada procedimento, trazendo mais segurança ao consumidor.

No caso dos planos empresariais individuais, quem paga a mensalidade é a própria pessoa, e cada vez que ela utilizar algum serviço, a coparticipação vem cobrada na fatura junto com a mensalidade.

Já nos planos empresariais é a empresa que paga toda ou parte da mensalidade, mas a coparticipação é cobrada do usuário do plano (beneficiário), na maioria das vezes descontado diretamente da folha de pagamento.

Mas isso significa que todo procedimento que você for utilizar vai ser necessário pagar por ele? Não. Isso varia de acordo com cada plano e também a ANS instituiu algumas regras relacionadas à coparticipação, que veremos a seguir.

Como funciona a coparticipação?

Vamos imaginar um cenário em que você tem um plano de saúde empresarial com coparticipação. Caso você precise pagar por algo, esse desconto virá na sua folha de pagamento, normalmente entre um prazo de 60 a 90 dias após a utilização do serviço.

Entretanto, não são todos os serviços que podem ser cobrados além da mensalidade. Existem algumas categorias de procedimentos que a ANS proíbe a cobrança, tais como:

  • Até 4 consultas com médico generalista (com especialistas a cobrança é permitida);
  • Exames preventivos (como mamografia, colonoscopia, glicose, entre outros);
  • Tratamentos crônicos (hemodiálise, transfusão, radioterapia, quimioterapia e outros);
  • Exames pré-natal.

Leia também: Como escolher um plano de saúde ideal: 7 dicas para você

Como é feita a cobrança?

O valor que o beneficiário deve assumir pode ser um valor fixo por categoria ou um percentual, não podendo coincidir com o preço integral do atendimento. Ou seja, caso você realize um exame que custa R$1.000 e o percentual máximo a ser cobrado é de 40%, então o desconto na folha de pagamento será de R$400. 

Além disso, é necessário obedecer aos limites dados pela ANS:

  • Mensal: não pode ser cobrado do beneficiário um valor maior que a mensalidade dentro de um mês;
  • Anual: o beneficiário não pode pagar mais que o valor de 12 mensalidades, dentro do período de um ano.

Mas, reforçamos que cada plano possui suas normas e exigências. Para ficar por dentro de tudo, deve-se consultar a operadora para entender em detalhes o que é cobrado e quais as porcentagens na coparticipação do seu plano de saúde.

Quais as vantagens e desvantagens da coparticipação?

Se você está procurando por um plano de saúde com CNPJ (Empresarial) ou por Pessoa Física (Individual/Familiar), a ideia da coparticipação pode parecer boa. Afinal, você paga um pequeno valor na mensalidade, sem aquela frustração de pagar por um plano e não utilizar.

Por outro lado, essa porcentagem nos serviços que você utilizar pode representar um desafio no fim do mês, principalmente quando não se tem controle sobre isso. 

Além de existir outras alternativas, também é importante lembrar que existem planos que te entendem, com cobertura para os momentos que mais importam, como o plano de saúde hospitalar.

Por isso, é fundamental  compreender o que é plano de saúde com coparticipação antes de finalizar qualquer proposta, além de pesquisar bem quais são as suas opções, para não ser pego de surpresa. 

Quais são os investimentos dentro da coparticipação?

Relembrando que o plano de saúde com coparticipação é aquele que você paga uma mensalidade fixa e mais os serviços utilizados no mês anterior, certo? Mas afinal, quais exames, consultas e procedimentos podem ser usufruídos na coparticipação? Será que é realmente vantajoso?

Veja como funcionam as cobranças de diferentes procedimentos dentro desse tipo de plano:

  • Exames: caso sejam exames simples e de rotina, a cobrança é feita por exame e não por coleta. Portanto, se necessário refazê-lo, não deve-se cobrar a mais por isso. Já em caso de exames mais complexos como uma tomografia, é cobrada pelo procedimento em si;
  • Consultas: não sendo um generalista ou ultrapassando as quatro consultas anuais, você paga pelo percentual de até 40% de uma consulta. Caso tenha um retorno dentro do período de 30 dias, ele não é cobrado;
  • Internações: é necessário consultar se a internação está dentro do seu plano mensal. Em caso negativo, é cobrado por fora o valor total da internação e dos custos envolvidos no período.

Como encontrar o plano de saúde ideal para mim?

Agora que você já sabe o que é plano de saúde com coparticipação, pode até parecer uma ideia boa contratar um, certo? Afinal, a mensalidade acaba sendo menor e você só paga por aquilo que utiliza.

Entretanto, quando pensamos no melhor para a nossa saúde e dos nossos familiares, não queremos ter restrições ou até mesmo precisar fazer contas para saber qual vai ser o custo de determinado procedimento.

Pelo contrário, queremos proteção e segurança de que, quando mais precisarmos, teremos um atendimento de qualidade, em uma rede hospitalar que é referência. 

E você sabia que não é necessário ter um CNPJ ou ir atrás de um plano com coparticipação para encontrar planos de saúde com um bom custo-benefício?

Aqui na cuidar.me, o nosso principal foco é a sua saúde — e como é possível trazer isso a você e toda sua família de forma acessível e com o melhor custo-benefício. Por isso, estamos presentes nos momentos que realmente importam:

  • Atendimentos de urgência e emergência em pronto-socorro, nos melhores hospitais da região;
  • Internações sem números limitados de dia e em quarto privativo;
  • Cirurgias, sejam elas eletivas ou emergenciais;
  • Atendimento à distância com a telemedicina, para que você não precise enfrentar longas filas sem necessidade;
  • Partos e pré-natal, para trazer mais segurança à família;
  • Terapias especiais e tratamento de doenças graves, como infarto, AVC e câncer;
  • Descontos e parcerias em farmácias, clínicas e laboratórios.

É um plano de saúde individual e hospitalar sem coparticipação em que você conta com a proteção de toda a sua família, ao mesmo tempo que cabe dentro do seu bolso.

Além disso, temos uma rede credenciada com hospitais que são referência na região, tudo com o intuito de oferecer o melhor atendimento para quem você ama

Economize no plano, não na saúde. Cadastre-se agora mesmo e passe a contar com a proteção da cuidar.me para você e toda sua família. 

Se este conteúdo foi útil e, com ele, você entendeu o que é plano de saúde com coparticipação, compartilhe este post em suas redes sociais!

Marcus Vinicius Gimenes

Marcus Vinicius Gimenes

CRM: 124766

Fundador da cuidar.me e Médico Cirurgião Cardíaco formado pela UNIFESP-EPM. Há 10 anos empreendendo com propósito de viabilizar o acesso à saúde de qualidade com preço baixo, transparência e empatia, de modo digital e simples.

1 posts